Image
Conferência
7 de Novembro de 2015

21:30
Os desafios da felicidade na sociedade de hiperconsumo
Image

com

Fátima Vieira
Rivoli - Grande Auditório MO

É forçoso reconhecer que vivemos no interior de sociedades de hiperconsumo que são, ao mesmo tempo, as da « felicidade paradoxal ». A longevidade aumentou, os horários pós-laborais estendem-se, cada um tem livre arbítrio para gerir esse tempo, caíram os preconceitos sexuais, o lazer e o epicurismo proliferam. E, contudo, nunca se expuseram tanto as depressões, ansiedades, burocracias ou as inseguranças afectivas e profissionais. Consumimos três vezes mais energia do que nos anos 1960 mas quem pode assegurar que sejamos três vezes mais felizes ?

A que se deve esta evolução paradoxal ? Não deve ser o consumo desregrado o bode expiatório do mal estar contemporâneo. São, sobretudo, os desafios colocados pelo empobrecimento numa sociedade de abundância que existem concomitantemente às crescentes dificuldades na articulação entre a vida íntima e a vida profissional. Não são, hoje, as relações com o que nos é exterior que nos faz sofrer mas, sobretudo, como nos relacionamos connosco mesmos e em relação aos outros.

A “tragédia” contemporânea encontra as suas raízes na dinâmica individualista e na aspiração a uma vida feliz: quando mais se reclama o prazer privado mais crescem, inevitavelmente, todo o género de frustrações e as insatisfações.

Uma coisa é certa : o nosso poder sobre “as coisas” pode ser representado por uma curva exponencial, mas o poder que temos sobre o que faz feliz continua a ser um dos mais frágeis. As chaves que abrem as portas da felicidade parecem bloquear-nos, resistindo obstinadamente à perícia dos homens. Parecemos ter chegado ao limite do projeto de força infinita desejado pelo modernistas.

Se nem o pessimismo nem optimismo radical nos bastam, resta-nos viver com a consciência de que a felicidade é não só incontrolável e imprevisível, como o inultrapassável enigma de hoje e de amanhã (Gilles Lipovetsky).

O encontro será moderado por Fátima Vieira, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, onde dirige a coleção Nova Bibilioteca das Utopias (edições Afrontamento).

Com tradução simultânea