Image
Conferência
10 de novembro de 2017

21:30
Anthropo/seen: Ecologia Negra, Utopia e Futuros Incertos
Image
Image

com

Gareth Evans
Rivoli - Grande Auditório MO

Uma cientista reflete sobre a sua própria mortalidade e destino do planeta após o final da humanidade – confinada a uma estranha biosfera artificial a que chama Urth, ela parece ser a última da sua espécie. O filme de Ben Rivers (1972, Reino Unido) abrirá a discussão entre o aclamado realizador e Timothy Morton (1968, Reino Unido), um dos escritores e filósofos mais influentes (e controversos) da atualidade. O seu livro Dark Ecology teve uma influência direta em Urth, mas afinal o que é isso de ecologia negra?

Segundo Morton, a ecologia negra “devolve ao pensamento (...) a incerteza e a reflexão” – acabaram os tempos em que pensávamos que conseguíamos manipular a natureza e as outras espécies terrestres sem que isso nos afetasse. Fazemos parte da “malha” e, tal como a cientista que nunca sobreviverá fora da Urth, humanos, não humanos e planeta, estamos todos interligados e sofreremos as mesmas consequências. Para o filósofo, que compara a forma da ecologia negra à do filme noir, somos o Rick Deckard em Blade Runner – o detetive que persegue algo externo para no fim perceber que se persegue a si próprio. Nesta conversa, moderada por Gareth Evans, Rivers e Morton partirão da ecologia negra para falarem sobre a “teia do destino” do Antropoceno. Na verdade, eles têm muito em comum: para além das ligações entre as suas obras, os dois têm uma paixão por literatura distópica, em especial por Mary Shelley, e estão ambos extremamente preocupados com o futuro do planeta.


Tradução simultânea